Escrito por Marketing Ausland em

Novas regras FIES para o segundo semestre de 2015

O Fies, programa do Governo Federal que oferece bolsas de estudos para alunos com condições financeiras comprovadamente baixas está com novas regras. Confira:

Para estudantes

  • Primeira graduação: agora os estudantes que já tiverem feito uma graduação não poderão mais ser beneficiados com o Fies. A prioridade é para os alunos que ingressam no ensino superior pela primeira vez.
  • Renda familiar: Agora existe um teto para os estudantes que desejam concorrer as vagas. O máximo de 2,5 salários mínimos por pessoa da família é exigido.
  • Comprovação de participação no Enem: O estudante que desejar concorrer a um financiamento estudantil deve ter feito o Enem, no mínimo, no ano anterior ao que está pedindo o financiamento. Outra novidade é que os resultados dos exames anteriores, até o ano de 2010, serão utilizados para a seleção e vale a maior nota obtida ao longo desses anos. Os estudantes com maiores médias terão prioridade na seleção, que passa a ser classificatória.
  • Desempenho no Enem: Não basta somente fazer o Exame Nacional do Ensino Médio no ano anterior. O estudante agora deve apresentar um desempenho mínimo de 450 pontos e não zerar a redação. Estudantes que não apresentarem esse desempenho inicial serão automaticamente eliminados do processo seletivo do Fies.

Utilização em conjunto com o ProUni

Atualmente as estudantes beneficiados com o ProUni, que ganham bolsas parciais podem pedir uma complementação, através do Fies, para que possam pagar a outra metade não bancada pelo governo federal após a sua formatura. Mas esse ano as regras para este tipo de financiamento também estão mais rígidas.

  • O financiamento do Fies deve ser para a mesma faculdade e mesmo curso em que o estudante tem o benefício da bolsa de 50% do ProUni.
  • A soma dos dois benefícios não pode ultrapassar o valor da mensalidade da universidade com desconto. Se os estudante não cumprir os pré requisitos acima ficará impedido  de conciliar os dois benefícios. Essa regra, ao contrário das outras, irá valer tanto para os novos estudantes beneficiados a partir deste ano, quanto para os que já possuem o benefício. Se o estudante já recebe o benefício e não se encaixa em alguma das exigências feitas pelo Governo Federal, será necessário regularizar sua situação para evitar a suspensão do benefício. Para evitar a suspensão dos dois, é aconselhável optar por um deles.
  • Com essas novas regras que funcionarão como um “filtro” para os estudantes, o governo pretende beneficiar aqueles que realmente precisam das vagas e estão dispostos a completar o curso, além dos que ainda não tiveram acesso ao ensino superior.

Para as instituições

Além das regras mais rígidas para a concessão do benefício para os estudantes, o Governo também criou regras mais rígidas para as instituições que receberão os beneficiados:

  • os cursos deverão ter nota 45 no SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da educação Superior)
  • a prioridade é para as regiões Nordeste, Norte e Centro Oeste (exceto o Distrito Federal)
  • os cursos com maior prioridade devem ser os da área da saúde, engenharias e formação de professores como normal superior, pedagogias e licenciaturas. Embora haja essa prioridade, o MEC informou que as outras regiões e os outros cursos não deixarão de receber os benefícios do Fies. O governo apenas está direcionando as vagas para cursos que acredita serem a maior prioridade do país no momento.

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de nossas novidades