Escrito por Marketing Ausland em

Mobiliário será avaliado no INEP 2016

A escola pode ter um espaço físico bom, mas se o mobiliário (mesas, carteiras, quadro negro, portas) não estiver adequado, o rendimento dos docentes e dicentes é prejudicado.

De olho nessas dificuldades, o INEP incluirá o item de mobiliário dentro da avaliação da educação infantil, que terá o seu começo no próximo ano. O instituto pretende verificar, além do espaço interno das escolas, a condição do mobiliário e dos equipamentos e materiais didáticos de cada estabelecimento escolar.

Além de garantir a saúde e o bem estar dos docentes, o mobiliário também pode contribuir para que os alunos aprendam mais e se desenvolvam melhor.

Isso acontece porque um ambiente que facilita o acesso e a interação entre os alunos, faz com que o aprendizado seja facilitado. A sala de aula deve valorizar a autonomia de cada aluno, com estantes baixas e acessíveis, por exemplo, para que os materiais estejam sempre ao alcance das mãos dos alunos. Segundo os psicólogos, ambientes com móveis coloridos e bem feitos (inclusive prezando a segurança, com pontas arredondadas) podem também incentivar o aprendizado,criando um ambiente lúdico.

Não é estranho que um ambiente com problemas como falta de carteiras, falta de manutenção dos equipamentos ou sujeira sejam responsáveis pelo baixo rendimento de alguns alunos. O desafio do MEC, com certeza, serão as escolas públicas, que pouco ou nada seguem do ideal no mobiliário escolar.

Para auxiliar as escolas a se adaptarem, o FNDE criou um manual com orientações acerca do mobiliário. O MEC também reconhece a importância do mobiliário escolar para educação infantil e, em seu Manual de Orientação Pedagógica para Brinquedos e Brincadeiras de Creches, orienta os diretores a fazer boas aquisições de móveis escolares.

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de nossas novidades