Escrito por Marketing Ausland em

Empresas de materiais de construção estão otimistas para janeiro

Mesmo com os problemas que o país enfrenta neste momento, é possível esperar retorno positivo nos lucros. Prova disso é o otimismo das empresas que fazem parte do comércio de materiais de construção em relação às vendas para o início do ano.

De acordo com alguns dados divulgados pela Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção), uma média de 23,5% dos empresários desse setor em especial, aguarda um cenário desagradável para o mês de janeiro e uma fatia de 5,9% vai além e espera algo “muito ruim” para o mesmo período.

Apesar de a maioria pensar ao contrário, a esperança na melhora dos negócios do setor também se faz presente na opinião de 11,8% dos empresários. Já um dado relativamente importante a ser destacado é o fato de que, de acordo com a Abramat, mais de 58% dos empresários estão bastante confiantes para vendas tidas como regulares para o mês de janeiro próximo.

Um dos principais motivos que contribuíram para o crescimento do otimismo entre os empresários do setor foi justamente a questão de que, nos últimos meses desse ano, as vendas internas melhoram sensivelmente. A Abramat, em pesquisa feita entre seus associados, obteve um percentual de 69% entre empresários que julgaram o mês de novembro como bom ou muito bom. Para melhora comparação, no mês de outubro, o percentual obtido sobre o mesmo assunto foi de 57%.

Já no mês de dezembro, mais especificamente o fechamento das vendas, uma taxa de 54% das empresas se dizem otimistas e isso para as vendas em curto prazo.

No que diz respeito ao mercado externo, a análise feita apontou que 33% das empresas estiveram satisfeitas com as vendas realizadas no mês de novembro. A taxa, neste caso para dezembro, fica em 35%.

Entretanto, mesmo com os cenários apontando uma relativa melhora, o momento ainda é de reduzir gastos. As expectativas em relação às ações do governo aumentaram e a previsão é de que investimentos subam nos próximos doze meses, já a partir de janeiro. Porém, o fato é que entre as projeções e o comportamento real do mercado há um fator que nem sempre é possível de prever e, como dizem os números, todos esperam pela melhora nas vendas em 2016.

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de nossas novidades