Escrito por Ausland em

Como evitar desperdícios na produção industrial

Saiba algumas maneiras eficazes de evitar desperdícios e diminuir os custos.

Alvo constante na pauta econômica no país, a produção industrial é uma espécie de termômetro dentro da economia. Quando se encontra saudável e bem estruturada gera rentabilidade, consumo, empregos e soluções para as mais diversas áreas do consumo. Na hipótese de estar defasada, gera consequências totalmente contrárias: retração, desemprego, baixa no consumo e escassez de serviços e insumos dentro da economia.

Para o empresariado brasileiro surgem de maneira constante dúvidas e receios quanto aos rumos dos seus negócios. Para gestores nos níveis de supervisão e gerência é esperado o máximo de eficiência e planos de ações para elevar os números positivos, evitando os desperdícios.

Mas, afinal, de que forma é possível evitar esses desperdícios? Quais ações e posturas podem ser adotadas para implementar decisões e planos estratégicos eficientes? Todos esses questionamentos serão abordados neste e-book, trazendo ao máximo informações que vão ajudar em muito o controle na produção industrial.

Os desperdícios

Como é o tema principal do conteúdo, se mostra necessário primeiro abordar quais são os casos mais recorrentes e como acontecem. Corroendo toda a cadeia produtiva da indústria, essas falhas enfraquecem o potencial produtivo das empresas, culminando em maiores gastos nos processos de fabricação, tornando empresas menos eficientes e, portanto, menos rentáveis. A seguir vamos enumerar os principais fatores que culminam nos desperdícios na indústria. Confira:

1 – Excesso de produção/superprodução:

O que é:

  • Produzir mais que o necessário;
  • Produzir mais rápido que o necessário;

Causas:

  • Aumento da capacidade de equipamentos;
  • Planejamento de produção deficiente;
  • Desequilíbrio na linha de produção;
  • Más práticas contábeis de custos;

Dentro de um planejamento inteligente e eficiente, a demanda do mercado e da clientela é um dos fatores que mais são levados em conta no momento de produção de mercadorias dentro da indústria. Não faz nenhum sentido produzir o que não será comercializado muito menos consumido, correto?

Baixe agora o nosso e-book sobre o mau planejamento na produção e saiba como contornar isso:

Induzidos, seja pela falta de organização e planejamento ou pelo excesso de otimismo, muitas empresas têm na superprodução a grande vilã na saúde financeira. O conceito é simples: há custos com maquinário, profissionais e de produção para fabricar alguma mercadoria ou gerar algum insumo, portanto, trocando em miúdos, dinheiro investido. O argumento básico que justifica um investimento é ter um retorno; quando não ocorre, além do aumento com custos de produção, há também o desperdício de valores com armazenagem e preservação, no caso de produtos não duráveis como os alimentos.

Os motivos que levam a esse equívoco são vários: do desequilíbrio da linha de produção ao aumento de capacidade tecnológica dos maquinários, tanto em quantidade quanto em eficiência produtiva. É pertinente sempre readequar a produção atendendo somente a demandas que supram as necessidades da carteira de clientes.

Defeitos

O que é:

  • Processamento na produção de produtos defeituosos;
  • Processamento devido ao retrabalho de produtos defeituosos;
  • Materiais utilizados na ocorrência de produtos defeituosos e retrabalhos;

Causas:

  • Falta de objetividade na especificação do cliente com relação ao produto;
  • Processos incapazes;
  • Falta de controle de processos;
  • Falta de mão de obra qualificada;
  • Setorização ineficiente afetando a qualidade do produto final;
  • Fornecedores incapazes

Qualquer tipo de mercadoria ou serviço é projetado ou pensado atendendo características que tornem determinado bem de consumo desejado no mercado. Quando ocorrem falhas nos processos de fabricação os custos aumentam, sendo necessário o retrabalho para conserto. Portanto, se torna conveniente e inteligente adotar medidas que previnam desperdícios no setor industrial com defeitos em mercadorias, algo que além de ser oneroso também pode manchar a imagem de uma empresa no mercado, o que é péssimo para os negócios.

Estoque

O que é:

  • Estoque excessivo de produto final;
  • Estoque excessivo de matérias-primas e insumos
  • Causas:
  • Produção excessiva;
  • Desequilíbrio na linha;
  • Grande tamanho dos lotes;
  • Alto tempo entre o pedido e a entrega do produto (lead time);
  • Alta taxa de retrabalho;
  • Falta de requisição de materiais e padrões de compras;

Abordamos no artigo “Estoque parado: qual o custo para a empresa” o quão custoso é para as empresas manter estoques parados nos centros de armazenagem. De uma forma sucinta, estoque parado é sinônimo de dinheiro retido, ou seja, travado e sem circulação. No ledo engano de estarem fazendo bons negócios, gestores de empresas muitas vezes de forma equivocada entopem seus estoques, mas nem sequer têm planos consistentes e plausíveis para fazer circular essas mercadorias. As consequências são imediatas: falta de capital para investimento em outras diversidades de produtos; necessidade de baixar os preços, perdendo rentabilidade para diminuir a quantidade de mercadorias; aumento de custos com armazenagem, entre outros.

Como solução, diversas ações podem ser planejadas. A primeira delas é negociar com o fornecedor boas condições de compra. É importante que tanto os donos de negócios quanto gerentes e supervisores explanem quais serão as estratégias para que ocorra de fato o “escoamento” desses produtos de uma maneira rentável. Para o fornecedor, ao conferir o potencial do seu parceiro, pode-se a partir desse momento oferecer condições mais vantajosas.

Outras alternativas que englobam o âmbito organizacional dentro da empresa são: basear-se no inventário sabendo quais produtos tiveram uma capacidade maior de rotatividade; entendimento no desejo de compra do seu consumidor alvo; alinhamento de planejamento com o departamento de compras e investimentos em tecnologia com softwares que ajudem na administração trarão bons resultados nessas tarefas.

Logística

Problemas:

  • Movimentação desnecessária de materiais;
  • Movimentação desnecessária de ferramentas e equipamentos.

Causas:

  • Planejamento da rota do produto ineficiente;
  • Fornecedores distantes da produção;
  • Fluxo complexo de materiais;
  • Local de trabalho desorganizado.

Útil em qualquer temática em administração de empresas, ainda mais imponente quando tratada nas indústrias, o planejamento quando o assunto é logística sempre é algo que demanda muito profissionalismo, constante revisão e adequação para evitar desperdícios.

Seja na aquisição de matérias-primas ou na comercialização de produtos para entrega aos consumidores, o quesito logístico pode influenciar em muito nos resultados da indústria. Se bem revisado e planejado, aumenta exponencialmente a capacidade de atingir mais compradores e suprir suas necessidades; se for o inverso, distancia fabricante do consumidor, desestimulando o processo de compra dentro do mercado.

Com a consolidação principalmente de compras pela internet, os e-commerces são exímios exemplos de modelos de negócios que exigem em muito um eficiente modelo de transportes, e por consequência, aquecem as indústrias que precisam adequar-se melhor para além de produzirem em maior quantidade, também desenvolverem planos logísticos mais robustos e elaborados.

Toda uma cadeia produtiva é interligada, demandando em muito um planejamento que integre todas as empresas para que o produto final chegue até o consumidor em plenas condições de consumo ou usufruto.

Espera demasiada

O que é:

  • Ociosidade decorrente de maquinário parado por defeito
  • Reparos em horário de produção

Causas:

  • Falta de manutenção nas máquinas
  • Infraestrutura defasada

O auxílio de máquinas é o aparato que mais potencializa a produtividade profissional, portanto, nada mais inteligente do que amparar-se na tecnologia para melhorar a eficiência no processo produtivo. Na hipótese de o maquinário estar parado em decorrência de necessidade de reparos, empresas estão tendo custos com mão de obra profissional sem que esses funcionários tenham plenas condições de trazerem retorno.

É imprescindível que sejam sempre feitas correções e manutenções preventivas em equipamentos para que os mesmos estejam em plenas condições de funcionamento nos expedientes da indústria. Outro fator que também prejudica na produtividade é a utilização de máquinas ultrapassadas e sucateadas, que por consequência, tem uma capacidade produtiva baixa e geram muitos custos com manutenção pelo seu tempo de uso.

Todos esses fatores geram ociosidade, ou seja, perda de produtividade dentro da indústria. Aos gestores, em especial gerentes e supervisores que lidam com a linha operacional com proximidade, é importante que identifiquem e elaborem relatórios que deixem claro como o sucateamento ou a falta de maquinário esteja incidindo negativamente nos resultados da empresa.

Questões básicas na produção industrial

O que produzir?

Para quem?

Em que quantidade?

Qual a área de abrangência?

O que comprar?

Quais serão os recursos necessários?

A administração da produção

Até aqui apresentamos quais são os tópicos que de maneira recorrente mais se repetem como erros que culminam em desperdícios no meio industrial. Mais do que apresentar os fatores que levam a números negativos, a seguir, vamos abordar a relação da administração agora como fator de performance positiva, ou seja, seu uso para ir justamente ao caminho oposto dos tópicos citados acima.

Buscando sistematizar e organizar todos os processos que norteiam, controlam e corrigem os trâmites industriais, os sistemas de administração de produção têm como base metodologias táticas e operacionais que auxiliam principalmente gerentes e supervisores em suas tomadas de decisões diretas com suas equipes de campo. As respostas do box ao lado (fazer a ligação com o box que coloquei acima) incluem o planejamento não somente de materiais (ou obra-prima), mas, inclusive de equipamentos, funcionários, fornecedores, além de clientes internos externos.

Para os gestores, qual é o grau de relevância que os sistemas de administração de produção desempenham de fato na linha produtiva? Diante da complexidade do atual mercado, é de suma importância que agentes com cargos de chefia tenham bem delineadas estratégias de aumento de produtividade e redução de custos para tornar viáveis a operacionalização de seus setores dentro da indústria.

Uma ajuda valiosa – Para atingir esses desafiantes resultados, softwares como o PCP (Planejamento e Controle de Produção) ajudam em muito a sistematizar condutas por meio de dados, definindo padrões que tragam melhores índices.

Confira alguns dos processos coordenados e gerenciados pelo PCP na indústria que serão fundamentais para evitar desperdícios na indústria:

– Administração de recursos de tempo

– Redução de custos de produção

– Definição clara da infraestrutura necessária para atender às demandas

– Definição da quantidade de mão de obra necessária para concluir projetos

Processos de planejamento e programação da produção

A palavra planejamento já nos induz a pensarmos sobre o controle de absolutamente tudo que envolve um negócio. Para os sistemas de produção industrial, essa afirmação não foge à regra. Ter total noção de como estão os andamentos de processos com números atualizados em tempo real trará todo um panorama instantâneo das tomadas de decisões, programando de uma forma inteligente a linha de produção, sempre amparado com o uso do PCP. Confira alguns dos benefícios dessa administração:

– Panorama atualizado: resultados do momento; como está a produtividade do setor; quais os recursos envolvidos;

– Mapeamento da demanda comercial

– Programação para execução das etapas que vão atender às demandas

– Execução

O que fazer na prática para evitar desperdícios

Após apresentarmos os fatores que levam aos desperdícios e posteriormente apresentar como o planejamento de produção é importante, chegamos ao momento prático: como de fato implementar ações que vão na contramão do desperdício.

Mapeamento completo dos setores produtivos – Não faz sentido desenvolver estratégias para evitar desperdícios se nem mesmo o domínio do panorama do setor está sob o controle dos gestores. Aos gerentes e supervisores cabe a tarefa de captarem o máximo de dados e informações e conferir quais etapas podem estar defasadas, apontando quais as suas causas para não estarem com bons índices. Esses cargos demandam um olhar minucioso e analítico, sempre se amparando em dados produtivos para compreender a real situação e potencial produtivo de cada um de seus departamentos.

Quais foram as causas levantadas? – No início do e-book apresentamos alguns dos fatores que levam ao desperdício. Quais foram os que se encaixam dentro do seu negócio? Avalie; confira quais foram os motivos que levaram a esse resultado. Pouca produtividade? Defeito no produto? Estoque parado? Problemas logísticos? Muitas são as causas e consequências. Após identificá-las, os gestores devem começar a trabalhar em táticas para contê-las.

Estratégias de solução – Etapa que sucede o levantamento, a definição das estratégias dará diretrizes a serem seguidas por todos os envolvidos para otimizar os resultados dos setores como um todo. Essas decisões, geralmente obtidas após o correto uso do PCP por gestores podem e geralmente readéquam a organização e a distribuição de mão de obra dentro dos setores. Outros fatores como análise de matéria-prima e estrutura para atender as demandas, incluindo também a aquisição de máquinas podem e devem ser revistas a todo momento.

Como a tecnologia tem ajudado? – É de conhecimento mútuo a importância da aplicação e desenvolvimento de soluções tecnológicas como propulsor de produtividade na indústria. Aos gestores operacionais é determinada a tarefa de constantemente alinhar com diretoria e presidência quais áreas necessitam de investimentos em tecnologia, elaborando relatórios que mostrem como esses aparatos tecnológicos trarão melhores resultados, dinamismo e celeridade das rotinas produtivas.

Para evitar esses problemas, é essencial que haja um bom planejamento da produção. Para isso, produzimos esse conteúdo especial, visando melhorar a produção da sua empresa:

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de nossas novidades