Escrito por Marketing Ausland em

Como enfrentar a alta do dólar em sua empresa?

O impacto da alta do dólar é muito maior em pequenas e médias empresas que não possuem uma margem monetária muito grande, por isso ficam mais dependentes, com menos acesso a subsídios e créditos fornecidos pelo governo. Além disso, empresas que precisam exportar sua matéria-prima também ficam em grande desvantagem com o aumento da moeda.

Há uma prática chamada Hedge, que pode ser usada para controlar a situação. Essa prática consiste na proteção contra as variações inesperadas de preços. Com ele a empresa poderá negociar na mesma hora de fechar um acordo quanto será a cotação, evitando assim maiores oscilações e prejuízos em um momento futuro.

Outra forma de Hedge, que pode ser utilizada por empresas que possuem uma maior verba ou parceria com outras empresas, é adicionar a exportação. Pois uma empresa que importa produtos está em grande prejuízo com a alta do dólar, diferentemente de uma empresa exportadora, que adquire uma boa quantia com seus produtos. Logo, a exportação pode ser uma alternativa.

Uma boa alternativa, quando o produto necessário é fornecido no Brasil, é procurar parceria com empresas nacionais. Dessa forma a negociação será feita em reais, evitando o prejuízo pela diferença das moedas.

O corte de custos pode ser importante também. No âmbito empresarial, quando um país entra em recesso econômico é aconselhável que a motivação seja mantida da melhor forma possível. Ações não planejadas podem acarretar em prejuízo ainda maior para a empresa em questão. As possibilidades devem ser bem avaliadas e executadas para que o momento seja superado.

A situação, a princípio, pode não ser animadora, porém, não há nada que não possa ser contornado, alternado ou até mesmo suspenso por algum momento. Muitas são as alternativas para driblar a alta do dólar e continuar prosperando os negócios. Basta um bom planejamento para garantir a segurança da sua empresa.

Assine nossa Newsletter e fique por dentro de nossas novidades